quarta-feira, 27 de setembro de 2017

BOMBA: AUTORA DA RESOLUÇÃO DO CFP ADMITE SER POSSÍVEL MUDAR A ORIENTAÇÃO SEXUAL

A POLÊMICA ACABOU! Pelo menos para este blog não é necessária mais coisa alguma para uma respiração aliviada, um coração leve, quando o assunto é esta resolução nº01/99 do Conselho Federal de Psicologia

É que a própria autora da resolução, a doutora em psicologia social Ana Bock, participou no começo da semana de um acirrado debate na TV Brasil com o único pesquisador da homossexualidade egodistônica no país, o ex-homossexual Claudemiro Soares. 

Talvez ela não esperasse debater com alguém tão bem preparo. Ele, como pesquisador, estudou com cuidado toda carreira acadêmica de Ana deixando ela sem saída e revelando frente às câmeras, ao vivo, a verdade que vai trazer o equilíbrio para esta nação. 

Em dois momentos importantes do debate ela deixa claro que é possível mudar a orientação sexual de uma pessoa. Veja as transcrições e assista ao vídeo.

Claudemiro argumenta: "mas na sua produção acadêmica a sra. diz categoricamente que a homossexualidade é opção. Se é opção como é que não pode optar?!"

Ana Bock: "Claro, pode optar. Eu acho que é opção!"

Claudemiro: "Tá vendo! É opção!"

Ana Bock: "É opção, mas não é doença cara!" 

Mais um momento importante da conversa: 

Ana Bock: "É proibido pelos psicólogos influenciar o sujeito. E ai eu vou concordar com você pela primeira vez na nossa conversa. Porque assim... é proibido influenciar: dizer você não deve ser homossexual e é proibido dizer aceite a sua homossexualidade".

Claudemiro aqui apertou ela porque a psicóloga Marisa Lobo foi processada pelo Conselho de Psicologia do Paraná exatamente por não influenciar o usuário a aceitar a homossexualidade se ele não quiser. 


Mas calma leitor! Sei que foi bom, mas até aqui são informações leves. Apenas para dar um suspense na barriga. O que importa mesmo é a próxima afirmação. Aperte o cinto. Vamos lá: 


Ana Bock: "Quem está respeitando o sujeito é a resolução. Porque ela diz assim: estou aqui para atender seu sofrimento, mas eu não vou oferecer para você cura, porque você não está doente. Agora venha aqui que nós vamos lidar com o sofrimento. E se o resultado disso for uma MUDANÇA de orientação sexual TÁ MUITO BOM. Ele vai sair satisfeito, o psicólogo também". 

Claudemiro deu aquela risada de ELA FALOU A VERDADE. E claro não podia deixar essa pérola passar e frisou bem: 

Claudemiro: "Eu concordo com a Dra. Ana Bock porque ela diz o seguinte: 'que o indivíduo é recebido no consultório do psicólogo, são tratadas as questões que ele leva, e se disso resultar numa MUDANÇA DE ORIENTAÇÃO SEXUAL, TUDO BEM'. Agora o que eu digo é o seguinte: que essa fala dela, nos termos em que ela falou. E como ela é autora da resolução, ela fizesse então uma emenda lá agora, promovesse isso junto ao Conselho, essa fala. Resolveria todo o problema!"

Ela dá uma risadinha de "estou fu#di##" hahaha. 

Outro momento do debate um tanto intrigante é a fala da Dra. Ana que começa no minuto 12:38 do vídeo. Vamos analisar: 

Ana Bock: "Os psicólogos não podem considerar como doença porque quando você considera como doença, você tira qualquer possibilidade do sujeito dizer 'EU que escolhi, EU que quero, EU tô bem com isso, EU tô feliz ou EU não quero, vou mudar' porque você disse que é doença. Você EXTRAIU do sujeito a sua propriedade sobre a sua orientação sexual. Sobre a sua identidade. Sobre a sua vida sexual". Ela ainda complementa: 

Ana Bock: "Com base em tudo isso, com vistas à uma psicologia que respeita as coisas que são CONSTRUÍDAS na sociedade, as possibilidades que são construídas na sociedade, a gente tem defendido este tipo de psicologia". 

Então fica claro que é omitida a possibilidade de ser uma doença para que então se torne uma opção do sujeito afetado por tal desejo dar continuidade ou não a tal desejo manifestado. Também é omitido como possibilidade de ser uma doença porque a psicologia, segundo ela, respeita as coisas que são CONSTRUÍDAS na sociedade, como as identidades LGBTTs. Que foram aceitas politicamente $$$ e não por reconhecimento científico. Então, por isso, para ela é uma OPÇÃO. A opção de deixar a possibilidade de ser doença de lado e assumir como uma identidade social. 

Sim leitor! Dá vontade de chorar né! Resolveria todo o problema de quem não quer ser gay e prefere o apoio da Ciência/Psicologia. 

Talvez por pressão do ativismo gay instalado na atual gestão do CFP seja difícil e demorado, mas a verdade está ai. Nua e crua! Caso não permitam o avanço desta decisão da Justiça Federal já sabem que é o ativismo gay sim. Não tem outra sociedade. São eles! Ana Bock pode até tentar reverter o que ela disse, mas está gravado. Já era. Ela falou a verdade para o bem da nação! Não vai adiantar tentar enrolar, como estão fazendo até agora. 

Todo império de anos acabando com as vidas de quem não queria ser gay desmoronado nessa frase dela. 

Outro motivo para se comemorar é que ela já tá de idade e entrar no caixão com uma mentira dessas nas costas não seria muito bacana. Pelo menos ela se redimiu, deixando escapar, porque não foi de propósito como você assiste: 


                                          

 Bolsonoro : ISSO É JUSTO ? 



           Deputada Eliza Virgínia: 

"Cadê a diversidade tanto pregada?"

 



           

Psicólogo que "despatologizou" a homossexualidade

defende reorientação 

Também foi citado no debate a APA, Associação Americana de Psicologia. E é interessante porque o ex-presidente Nicholas Cummings, autor do documento mais importante que mudou o futuro dos gays no mundo, fala no vídeo sobre o destino da organização após sua gestão e sobre a reorientação sexual. 

O psicólogo afirma que antes os trabalhos eram sérios. Quando criou a resolução em 1975, ele explica que a entidade se baseava no Princípio de Leona Tyler, que impedia que qualquer pesquisa sem comprovação científica fosse publicada, o que desde 1990 deixou de ser observado pela associação. 

O mais importante na fala dele é que mesmo sendo autor da resolução que definiu a homossexualidade sendo caracterológica, ao contrário de doença. Ele afirmou que na época as pesquisas haviam de continuar, o que nunca aconteceu. Isso mesmo, segundo ele pesquisas imparciais pararam por ali. 

A política, de acordo com Cummings, tomou conta da APA e prevaleceu sobre qualquer resultado científico: “resultados arbitrários de pesquisas tornaram-se moda e o movimento pelos direitos dos gays de certa forma tomou a APA”. 

O doutor na entrevista aparenta arrependimento e se pudesse voltar atrás pensaria um pouco mais: “Hoje eu vejo a necessidade de uma organização que recrute mais homens heterossexuais, os menos representados na APA atualmente”, desabafou. 

Cummings ressaltou que qualquer coisa que não era liberal passou a ser mal vista pelos associados. Quanto a homossexualidade ser algo irreversível ele discorda claramente ao dizer que “a pessoa é quem decide o que fazer com sua orientação”. 

A conclusão de tudo isso é que a militância gay tomou conta da própria ciência para auto-favorecimento colocando para escanteio os homossexuais que procuram espontaneamente formas de mudarem os seus desejos. 

As melhores afirmações de Cummings: 

“As agências de financiamento decidem arbitrariamente qual estudo será financiado”. 

“Se alguém decide ser gay eu respeito isso, mas também respeito o direito de discordar”.

“Agora só se ouve um lado da história”. 

O movimento ativista homossexual sempre que pode, ataca aqueles que querem mudar. Afirmam sempre que precisamos ser como eles e nos aceitar. 

A verdade é que não precisamos fazer parte de manobra alguma criada por eles. Estamos sendo nós mesmos, e exercendo nosso legítimo direito. 

Se vocês gostam do estilo de vida homossexual, do sexo homossexual, beleza. Nós não nos adaptamos. 

A maioria de nós homossexuais egodistônicos começamos a desenvolver desejos homossexuais depois de abusos na infância. E a cada vez que ouvimos "você tem que se aceitar" são reavivadas dentro de nós trágicas memórias. 

Não reclamem pelo fato de a maioria de nós buscar ajuda na religião. Afinal, esta é a única que vocês nunca vão manipular. 

Se vocês querem ser gays que sejam. Agora não impeçam pessoas de saírem da homossexualidade. 

Demonstramos aqui que querer deixar a homossexualidade não está baseado apenas em conceitos religiosos, mas também científicos. A ciência autêntica. A ciência imparcial reconhece isso. 

Foi o próprio autor da resolução que tirou a homossexualidade do rol de doenças mentais que afirmou: “a pessoa é quem decide o que fazer com sua orientação”.

E AGORA ?


Os ativistas gays não perdem tempo. Já começaram a sujar a internet com suas tentativas de ludibriar os incautos com suas matérias tendenciosas. Uma "suruba protesto" com título "incuráveis" que tal?
É... e tentam associar o assunto da resolução com religião todo o tempo. Atacando especialmente quem acolhe os que querem mudar, os cristãos: 



Nem o juiz escapou, coitado: 



Agora é com vocês sociedade! Agora é com vocês homossexuais egodistônicos! Informações suficientes para dar vida ao sonho de mudar vocês já têm.

Eu optei pela fé para resolver minha sexualidade. Até porque psicólogos só podiam afirmar o que eu não queria para mim. No entanto, o máximo de informações foram unificadas aqui para você saber que existe outro caminho se você não quiser a fé. É um direito seu!


Outras gerações estão vindo ai, vocês PAIS vão deixar a sexualidade delas com o ativismo gay?! É com vocês agora!!! 


Assista aos vídeos:


Presidente do Conselho de Psicologia foi à Venezuela apoiar Maduro à custa dos psicólogos

O que a gente precisava ouvir da autora da resolução já ouvimos:

"E se o resultado disso for uma MUDANÇA de orientação sexual TÁ MUITO BOM. Ele vai sair satisfeito, o psicólogo também"                                                                                                                                                                           

Ana Mercês Bahia Bock      

 Autora da resolução  01/99 do Conselho Federal de Psicologia   


                   

Será que a fala dela vai, mais uma vez, gerar discórdia na sociedade?! Vai ser uma questão de ponto de vista e interpretação uma afirmativa tão clara como a dela? Depende dos maus que temos na sociedade!

Uma coisa é certa, qualquer tentativa dos próprios psicólogos reverterem o que a autora da resolução falou vai apenas evidenciar como essa classe de profissionais é perdida em seus conceitos,  sem consenso, despreparada para lidar com o tema, logo sem credibilidade alguma. Talvez não seja essa a visão que a categoria quer passar para toda a sociedade. Os próximos capítulos dirão.  

Se você havia percebido algo de errado, parabéns, acertou!


Leia gratuitamente este livro e saiba tudo sobre o assunto!

"Oferecemos o lado oposto do testemunho pessoal, o dos homossexuais que tentaram aceitar uma identidade gay mas não se sentiram satisfeitos e logo se beneficiaram da psicoterapia para ajudá-los a libertar-se do conflito de identidade de gênero. Essa terapia não é para todos os homossexuais. Alguns podem preferir a Terapia de Afirmação Gay"
Só para ficar bem justo, se eu fosse esse juiz do caso, processaria toda essa galera que o difamou. Deveriam pedir desculpas em público principalmente por terem feito o que fizeram com Rozangela Justino:



Rozangela & os ativistas da Rede Globo

Por Ernandes Almeida

VEJA TAMBÉM:

ASSISTA AO DEBATE COMPLETO NA TV BRASIL 




Nenhum comentário :

Postar um comentário


Postagens populares

Contador de Visitas

VISITE TAMBÉM: