sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

MULHERES BISSEXUAIS SOFREM DE MAIS TRANSTORNOS MENTAIS DO QUE AS LÉSBICAS

As mulheres bissexuais sofrem mais problemas de saúde mental do que as lésbicas, apontou um estudo elaborado no Reino Unido publicado na revista científica Journal of Public Health.


14/01/15
Da EFE 




As mulheres bissexuais tem 64% mais de possibilidades de sofrer de desordens alimentares, 37% mais probabilidades de se auto-mutilarem e 26% mais de sofrer depressão do que as lésbicas, segundo a pesquisa elaborada pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

O estudo baseia-se na análise de dados obtidos em 2007 a partir dos testemunhos de 5.706 mulheres bissexuais e lésbicas com mais de 14 anos residentes no Reino Unido.

«As pessoas bissexuais têm um risco particular de sofrer de invisibilidade e serem marginalizadas nas comunidades de gays e lésbicas, assim como no resto da sociedade», alertou o pesquisador Ford Hickson.

«Apesar de as mulheres bissexuais do nosso estudo terem sofrido menos discriminação de género do que as lésbicas, isto não significou um benefício para a sua saúde mental», explicou o cientista.

O estudo detectou que as mulheres bissexuais são menos propensas a comunicar a sua tendência sexual a amigos, familiares e colegas de trabalho, e também mantêm menos relações estáveis.

«Os serviços de saúde mental deveriam ser advertidos sobre as diferenças e as similitudes entre as mulheres bissexuais e as lésbicas e desenhar a sua assistência nesse sentido», afirmou Hickson.

Lisa Colledge, co-autora da pesquisa, sublinhou que o resultado foi semelhante aos de outros que traçaram as diferenças entre bissexuais e homossexuais.

«Apesar de as mulheres não heterossexuais terem uma saúde mental muito pior do que as heterossexuais, as bissexuais mostraram mais transtornos», afirmou Colledge.


Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe



Opinião: 


Convido vocês a lerem alguns comentários da página da Folha de São Paulo - um dos maiores veículos que republicou a notícia. Lá percebemos uma multidão de comentários vitimistas e pessoas se doendo porque não conseguem ser nem um pouquinho contrariadas. 


No mesmo momento me veio a lembrança de algumas falas do Dr. Nicholas Commings. No vídeo ele diz: "a situação passou a tornar-se mais política que científica".

Em várias outras publicações podemos entender que a intenção de Cummings com sua resolução que tirou a homossexualidade do rol de doenças mentais era para reduzir o preconceito que havia contra os gays na época, mas sem que isso influenciasse na continuação dos estudos científicos. Foi compreendido de forma equivocada, pois como ele garante no vídeo os estudos imparciais nunca tiveram continuidade e o comportamento homossexual foi normalizado por pressões políticas e ideológicas não científica. 

Hoje, já acostumados com a ideia de que "nasceram assim" fica bem mais difícil para essas pessoas ouvirem algum tipo de contradição de seus comportamentos. Elas entram em verdadeiro estado de surto. No entanto, essa matéria é uma oportunidade que se abre para mais estudos imparciais serem publicados apesar do barulho dos militantes gays. 

O que a ciência autêntica está interessada é entender e resolver o porquê de uma multidão de pessoas homossexuais, das diversas vertentes, buscarem consultórios clínicos por não acharem a vida homossexual realizadora, por não ser uma verdade que os satisfaz. 

Apesar dos comentários que vocês leram na página, não podemos esquecer que o estudo teve participação de mais de CINCO MIL E 700 TESTEMUNHOS. E apesar dos gritos contrários - numa pesquisa imparcial este número de relatos certamente enriqueceu a visão científica sobre o tema. 

Esta matéria vai doer nos homossexuais, mas é preciso que estudos imparciais como estes continuem sendo feitos, pois sabemos que apesar de muitos gostarem da vida gay, o outro lado da moeda também está cheio de gente. E que devem ser igualmente ouvidas e respeitadas. 

Lembrando que eles podem manipular, mas a informação é clara: menos discriminação não resulta em mais saúde psíquica. Podemos ainda entender que a falta de saúde psíquica não está ligada diretamente a discriminação - no caso abordado. 

Que venham mais estudos imparciais!

Vou deixar vocês com uma fala intrigante de Cummings: "Nenhum de nós podia imaginar"






3 comentários :

  1. Ex-gay, eu li a pesquisa que tu colocou nesse site e no site da Folha e tu precisava ver a quantidade de pessoas contrariadas e que não gostaram da pesquisa que a Folha fez.Chamaram a Folha de tudo quanto é coisa, chamaram ela de homofóbica, de preconceituosa.Enfim, começou o mi, mi,mi.Só que tem uma coisa que precisa ser dita.Essa pesquisa constatou que as mulheres bissexuais estão mais propensas a sofrerem de transtornos mentais do que as mulheres lésbicas e as mulheres em geral.Em suma, se as mulheres bissexuais sofrem preconceito até dentro do meio gay, isso mostra que o meio gay é o mais homofóbico que existe.Me desculpa o que eu vou dizer agora,não se ofendam, mas os GLBTTs são o tipinho de gente mais intolerante que existe nos dias de hoje!
    Alguém tem preconceito contra mulheres bissexuais? Eu pelo menos não tenho! Estar dentro do armário ou fora do armário, aceitar ou não aceitar a própria orientação sexual, não faz nenhuma diferença e não tem qualquer impacto na quantidade de transtornos que os LGBTTs sofrem.Não existe nenhum LGBTT que não tenha algum tipo de grilo.
    Ex-gay, o Brasil é um país tão homofóbico, mas tão homofóbico que elegeu o Clodovil Hernandez para deputado federal! Pelo que eu saiba, o Clodovil Hernandez nunca se fez de vítima para poder chegar onde ele chegou! Acredito eu, que os homossexuais que mais se adaptam a tal da "heteronormatividade" são os mais ajustados! Eu falei com o meu tio, ele disse que não tem nenhum problema e nenhum tipo de preconceito contra os homossexuais! Então, eu falei pro meu tio! Tio, por que muitas pessoas criticam os gays,por que isso? Ele falou o seguinte: Ah Lucas, eu acho que é porque eles se expõem muito, eles gostam de se expor e nem todo mundo está preparado pra isso! O cara que é viado não precisa dizer pra todo mundo que ele é, não precisa extender uma faixa mostrando aquilo que ele curte! O cara que é viado mas que é discreto e que fica na dele, esse não é incomodado! E se tu diz alguma coisa que as pessoas não gostam, tu vai ouvir críticas! Aí então eu disse pra ele:Por exemplo, é porque eles falam muitas obscenidades, falam em pau, em cacete, em piroca, etc...e nem todo mundo gosta de ouvir isso! Quando uma pessoa fala só sobre sexo, a pessoa se torna inconveniente! Aí eu perguntei pra ele:Tio, porque a mídia não fala muito disso, sobre a homossexualidade, sobre o movimento gay? Foi então que ele respondeu: Por que isso é uma coisa que a maioria das pessoas não se interessa, isso é uma coisa que diz respeito a poucas pessoas, que afeta poucas pessoas e não a maioria!Agora a minha opinião: A promiscuidade do homem hetero não está no mesmo nível que a promiscuidade do homem gay. O home gay, é em média, muitas vezes mais promíscuo que o homem hetero. A promiscuidade do mundo hetero é uma opção, a promiscuidade do mundo gay é geral e é muito alta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tinha reparado nessa parte que elas sofrem preconceito pelos próprios gays. Acredito que é porque os que estão bissexuais nunca se sentirão completos. E acabam sendo excluídos de muitas oportunidades de namoro no meio, já que o fim a qualquer momento é mais previsível.

      Mas imagine os conflitos que alguém que gosta de dois sexo deve ter mesmo. Deve ser muito complicado, ainda mais se for muito forte a atração pelos dois sexos.

      Eles são sim muito preconceituosos, exigem tolerância, mas são intolerantes. Para eles é normal uma transexual lésbica, mas não é possível compreender um ex-homossexual. Dá para entender isso? Eu não consigo. É nessas horas que eu acho que falta um parafuso a menos. Porque para eles é normal um cara cortar o pinto, viver como mulher com outra mulher. Mas um cara que já tem tudo para fazer isso do jeito tradicional não pode.

      É bom que eles não mudem. É bom que eles continuem se mostrando como são. Quanto mais autênticos mais ajuda e colabora para quem não tem prazer nesse tipo de vida.

      Excluir
  2. Exgay vc já ouviu falar em Sergio Viula ?Ele é quem atrasa o lado do malafaia quando o assunto é homossexulismo.De um olhada se puder no Facebook e noo YouTube. Abraço

    ResponderExcluir


Postagens populares

Contador de Visitas

VISITE TAMBÉM: