quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

NATAL





Que o personagem principal desta data não seja esquecido! Pois ele veio revelar ao mundo dos viventes uma verdade que resulta em vida. Ele veio revelar a imensidão do amor que um Criador pode ter por suas criações. Ele veio trazer a resposta da pergunta: por que existo? Qual significado disso tudo? Ele não é só uma filosofia. Uma religião. Ele se intitula como a verdade. E quão audacioso. Quão ousado. Quão destemido. Quão certo este alguém precisou ser do que estava trazendo ao mundo. 

Para alguns foi passado por louco. Para os que tiveram seus corações invadidos por ele a certeza de que suas palavras eram vida. Muitos derramaram e continuam derramando seus sangues em prol de uma percepção divina e irresistível. 

Nesta data o que podemos perceber é que este tão incrível ser veio desmistificar a imagem do deus religioso, velho e arrogante. Cheio de regras para serem cumpridas. Ele revelou isso quando escolheu os próprios religiosos para o matarem. Exatamente para ser perceptível ao mundo: “vejam eu não sou uma religião”. “A religião está me matando”. Ele veio nos ensinar a chamar o Criador da Vida de Pai: “vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus...”. Ele veio mostrar que Deus criou seres para ser sua família. Que o amem não por obrigação, mas por livre e espontânea vontade. O Cristo se revela como o primogênito de muitos irmãos.

Cristo veio revelar a identidade do Deus Pai. Foi ele quem contou:

“Um homem tinha dois filhos. Disse o mais moço a seu pai: Meu pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Ele repartiu os seus haveres entre ambos. Poucos dias depois o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para um país longínquo, e lá dissipou todos os seus bens, vivendo dissolutamente.

Depois de ter consumido tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidades. Foi encostar-se a um dos cidadãos daquele país, e este o mandou para os seus campos guardar porcos. Ali desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava.

Caindo, porém, em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui estou morrendo de fome! Levantar-me-ei, irei a meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti: já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus jornaleiros. Levantando-se, foi para seu pai.

Estando ele ainda longe, seu pai viu-o e teve compaixão dele e, correndo, o abraçou e beijou. Disse-lhe o filho: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei-me depressa a melhor roupa e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também o novilho cevado, matai-o, comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho era morto e reviveu, estava perdido e se achou. E começaram a regozijar-se.

Seu filho mais velho estava no campo; quando voltou e foi chegando à casa, ouviu a música e a dança: e chamando um dos criados, perguntou-lhe que era aquilo. Este lhe respondeu: Chegou teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho cevado, porque o recuperou com saúde. Ele se indignou, e não queria entrar; e saindo seu pai, procurava conciliá-lo.

Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo, sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com os meus amigos; mas quando veio este teu filho, que gastou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado.

Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu; entretanto cumpria regozijarmo-nos e alegrarmo-nos, porque este teu irmão era morto e reviveu, estava perdido e se achou”. Lucas 15: 11-32

Um religioso, no passado, duvidou de todo o evangelho, e toda verdade, anunciada por Cristo e pelos cristãos. Dizendo: “E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará. Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la”. Atos 5:38-39

O religioso falou bonito. Se for de homens esta verdade se desfará, mas se for de Deus não poderia ser desfeita.

E hoje estamos comemorando a existência simbólica do ser escolhido para nos anunciar esta verdade que sobrevive há milênios. Que tentaram esconder e tê-la como posse na idade média. Que causa alvoroço. Curiosidade. Intriga. E que se tornou o livro mais vendido e conhecido no mundo. Uau!

O deus religioso é que regula, que dá ordens sem parar. O Deus que Cristo revelou te ama como um pai ama seu filho. Permite você ir e voltar porque este é o verdadeiro amor. O deus religioso é obedecido por obrigação. O Deus Pai é obedecido por respeito. Esta é a revelação de Cristo Jesus para quem deseja fazer parte da família de Deus.

Amem o Deus Pai que prometeu existência eterna aos que, com coração sincero, o buscam.


Continuemos a falar a mesma frase daquele homem: "Se for de homens esta verdade se desfará, mas se for de Deus não poderá ser desfeita"


Continuemos a falar a mesma frase daquele homem: "Se for de homens esta verdade se desfará, mas se for de Deus não poderá ser desfeita" 
~~FELIZ NATAL~~

4 comentários :

  1. Boa tarde,
    estou na correria e não consegui ler o seu post ....
    Mas deixo aqui o meu feliz natal!!
    Continue firme na sua caminhada! Isso ajuda muita gente!

    vc tem um email que troca ideia com leitores?

    Feliz natal ai brother!
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oexgay@gmail.com

      Te espero lá! Abração.

      Excluir
  2. Olhe: http://redesuper.com.br/nuncaetarde/2014/11/19/movimento-cores-oferece-orientacao-espiritual-sobre-sexualidade/

    ResponderExcluir


Postagens populares

Contador de Visitas

VISITE TAMBÉM: